Sociedades acadêmicas pentecostais não surgiram até o último quarto do século XX. No curto período desde aquela época, no entanto, pelo menos uma sociedade acadêmica comprometida com a pesquisa pentecostal foi estabelecida em todos os continentes. A Sociedade para Estudos Pentecostais (SPS), fundada em 1970, é a mais antiga e se materializou da visão de três aspirantes a acadêmicos pentecostais: William Menzies (Assembléias de Deus), Vinson Synan (Igreja Pentecostal da Santidade) e Horace Ward (Igreja de Deus [Cleveland, Tennessee]). Seu primeiro encontro anual coincidiu com a sexta Conferência Mundial Pentecostal em Dallas, Texas, que foi patrocinada pela Pentecostal Fellowship of North America (PFNA). Inicialmente, a reunião atraiu 139 inscritos e foi concluída com 108 membros fundadores. Embora a sociedade funcione “para servir o mundo da igreja, proporcionando uma interpretação oficial do Movimento Pentecostal”, a liderança da SPS fez uma migração corajosa para longe da PFNA e se tornou uma entidade separada em 1975 (Society for Pentecostal Studies 2010).

Os membros estabeleceram o nome de “Sociedade Para Estudos Pentecostais” em vez da “Sociedade de Estudiosos Pentecostais”, a fim de estimular o rigor acadêmico no estudo do pentecostalismo e não limitar o envolvimento apenas aos acadêmicos pentecostais. Originalmente, os membros do SPS eram obrigados a aderir à Declaração de Fé do PFNA, que excluía muitos pentecostais afro-americanos e hispano-americanos, cujas denominações haviam sido negadas a participação no PFNA; Estudiosos unicistas, que não conseguiam se alinhar com a linguagem trinitária; e carismáticos, muitos dos quais não subscreveram a doutrina pentecostal clássica de falar em línguas como evidência inicial do batismo do Espírito Santo. Este requisito foi finalmente removido a fim de promover mais diversidade dentro do SPS, mas outros ainda expressaram preocupação de que um órgão norte-americano possa exercer muita influência interpretativa sobre o movimento pentecostal global maior. A diversidade de presidentes anteriores indica os esforços feitos pelos membros do SPS para serem inclusivos; Ao longo de quarenta anos, a lista presidencial demonstra a diversidade de gênero, etnia (incluindo afro-americanos, hispânicos e canadenses), bem como denominações e tradições (com ligações às tradições Unicistas, Católica Romana, Presbiteriana e Episcopal). A sociedade continua realizando reuniões anuais que geralmente são focadas em um tema de conferência comum, apresentando oradores do plenário junto com apresentadores e respondentes em uma gama cada vez maior de temas incluindo preocupações asiáticas/Americana, preocupações bíblicas, pentecostalismo canadense, ética cristã, ecumenismo, história, missões e estudos interculturais, filosofia, teologia prática/formação cristã, religião e cultura e teologia. O SPS também patrocinou dois extensos diálogos ecumênicos entre católicos romanos e pentecostais e entre pentecostais clássicos e unicistas. Em 1979, a sociedade lançou seu primeiro número da Pneuma: o Jornal da Sociedade de Estudos Pentecostais, agora reconhecido por importantes contribuições acadêmicas, não apenas entre pentecostais e carismáticos, mas também entre estudantes e acadêmicos de todas as tradições. Como a sociedade, a Pneuma – atualmente publicada três vezes ao ano – continua a crescer na diversidade denominacional, étnica e internacional, refletindo, assim, a crescente dinâmica global do Pentecostalismo do século XXI. Ainda em solo norte-americano, a recém-formada Rede Canadense de Pesquisas Pentecostais examina questões relacionadas ao estudo do pentecostalismo canadense. Vários simpósios levaram a monografias com foco nas histórias do pentecostalismo canadense e ao estabelecimento do jornal canadense de cristianismo pentecostal e carismático.

Na Europa, várias organizações se materializaram para tratar de questões específicas relacionadas ao pentecostalismo naquele continente. A Associação Europeia de Teologia Pentecostal (EPTA), fundada em 1979, existe para “a promoção do aprendizado pentecostal, treinamento ministerial e literatura teológica, e a promoção do intercâmbio e cooperação entre instituições membros” (European Pentecostal Theological Association 2010). Tal como os membros do SPS, os membros da EPTA esforçam-se por abordar uma multiplicidade de línguas, culturas e tradições dentro do contexto europeu. Ao contrário do SPS, o EPTA inclui apenas membros pentecostais e serve principalmente as preocupações da educação pentecostal. Em 1981, a sociedade iniciou a publicação trimestral do EPTA Bulletin e, em 1996, a EPTA passou para uma publicação anual renomeada para Journal of European Pentecostal Theological Association (JEPTA). No mesmo ano, uma segunda associação denominada Conferência Pentecostal de Pesquisa Carismática Europeia (EPCRA) iniciou um intercâmbio internacional, interdenominacional e interdisciplinar entre acadêmicos e leigos sobre o estudo dos movimentos pentecostais e carismáticos. Finalmente, a mais recente sociedade europeia – fundada em 2004 como a Rede Europeia de Pesquisa sobre Pentecostalismo Global (GloPent) – agora atua como uma rede para pesquisadores com interesse particular no pentecostalismo africano, asiático e latino-americano. O GloPent consiste de um ambicioso grupo diretor de acadêmicos da Universidade de Birmingham, na Inglaterra, da Vrije Universiteit em Amsterdã e da Universidade de Heidelberg. A rede encoraja a afiliação de acadêmicos de qualquer universidade europeia, e por meio do Centro Hollenweger para o Estudo Interdisciplinar de Movimentos Pentecostais e Carismáticos em Amsterdã publica PentecoStudies: Revista Online para o Estudo Científico do Pentecostalismo e Movimentos Carismáticos.

Na Ásia e na Austrália, várias sociedades com ambições nacionais, regionais e/ou internacionais incluem a Associação de Teologia Carismática da Ásia (ACTA); Associação Teológica Ásia-Pacífico (APTA), que publica o Jornal Asiático de Estudos Pentecostais; Sociedade Pentecostal Asiática; Estudos pentecostais da Australásia, que publica Estudos Pentecostais Australasianos; Conferência dos Teólogos Pentecostais – Índia; Sociedade Japonesa de Estudos Pentecostais; e a Korean Pentecostal Society, que publica o Journal of Korean Pentecostal Theology. Da África, grupos recentes a emergir incluem o Centro para Estudos Pentecostais e Carismáticos, baseado em Gana, e a Associação Teológica Pentecostal da África Austral (e seu jornal intitulado Pneumatikos). Movendo-se para a América Latina, a Comisión Evangélica Pentecostal Latinoamericana (CEPLA) atua sob o Conselho Mundial de Igrejas e aborda os desafios fundamentais enfrentados pelo movimento pentecostal na América Latina. Desde 1990, os pesquisadores continuam a se concentrar nas raízes históricas da fé pentecostal e a responder à crescente demanda por discipulado, formação ministerial e ecumenismo. Dada a recente onda de pentecostalismo global, a pesquisa imediata requer uma análise acadêmica das identidades, histórias, teologias e praxes nacionais e regionais, destacando assim a necessidade de crescimento nos estudos sobre o Sul Global. Infelizmente, os impedimentos à distância e ao custo às vezes forçam essas organizações a diminuir a frequência de suas reuniões e publicações da conferência.

Uma sociedade notável, Pentecostais e Carismáticos para a Paz e Justiça (PCPJ), não existe primordialmente ao longo das linhas geográficas, mas sim “encorajar, capacitar e sustentar a busca da paz e a busca da justiça como aspecto autêntico e integral da Pentecostal”. Cristianismo Carismático, testemunhando a convicção de que Jesus Cristo é relevante para todas as tensões, crises e fragilidades do mundo” (Pentecostais e Carismáticos para a Paz e a Justiça, 2010). O PCPJ publica a Pax Pneuma: O Jornal de Pentecostais e Carismáticos para a Paz e a Justiça e procura fornecer recursos para que os capítulos locais participem da paz em forma de Jesus, com o poder do Espírito, com justiça.

Enquanto as sociedades acadêmicas pentecostais defendem suas declarações de missão, o futuro da pesquisa e práxis pentecostal parece brilhante. Primeiro, ao cumprir sua missão, os estudantes e acadêmicos pentecostais ampliarão sua identidade pessoal e acadêmica através de um diálogo rigoroso entre os pares. De fato, os eruditos pentecostais se moldam mutuamente e contribuem muito para as identidades históricas e teológicas dos pentecostais agora em seu segundo século de existência. Esses estudiosos, por sua vez, ajudam a moldar a autoconsciência exegética, histórica, sociocultural e teológica não apenas em suas comunidades acadêmicas, mas também eclesiais. Segundo, as sociedades acadêmicas pentecostais não permanecem mais à margem da erudição. Os esforços das sociedades pentecostais lançam muitos jovens acadêmicos em carreiras que não apenas moldam a tradição pentecostal, mas também oferecem contribuições à academia maior e à igreja universal. A título de exemplo, considere desenvolvimentos recentes na Sociedade Teológica Evangélica (ETS) e na Academia Americana de Religião (AAR). Em 1999, o ETS confirmou uma sessão sob a liderança de Paul Elbert e James Shelton intitulada “Temas Carismáticos em Lucas-Atos”. As reuniões continuaram na ETS por cinco anos e estimularam o importante diálogo entre eruditos pentecostais e evangélicos. Voltando ao AAR, embora um pedido formal de uma trilha pentecostal tenha sido rejeitado em 1984, a atual geração de pentecostais sob a direção de James KA Smith e Amos Yong recebeu recentemente a entrada como “Consulta dos Movimentos Pentecostais-Carismáticos”. Inaugurada em 2007, a consulta está atualmente em seu segundo mandato de três anos.

Referências e Sugestões de Leitura

European Pentecostal Theological Association. 2010. http://www.eptaonline.com.

Hunter, Harold D. 2002. “International Pentecostal-Charismatic Scholarly Associations.” In The New International Dictionary of Pentecostal and Charismatic Movements. Revised and expanded edition, ed. Stanley M. Burgess and Eduard M. van der Maas, 795–97. Grand Rapids, MI: Zondervan.

Pentecostal-Charismatic Theological Inquiry International. 2010. http://www.pctii.org.

Pentecostals and Charismatics for Peace and Justice. 2010. “Our Mission.” http://pcpj.org.

Society for Pentecostal Studies. 2010. http://www.sps-usa.org.

Spittler, Russell P. 2002. “Society for Pentecostal Studies.” In The New International Dictionary of Pentecostal and Charismatic Movements. Revised and expanded edition, ed. Stanley M. Burgess and Eduard M. van der Maas, 1079–80. Grand Rapids, MI: Zondervan.

Martin W. Mittelstadt

Ph.D. Marquette University (Milwaukee, Wisconsin), 2000
M.Div. Providence Theological Seminary (Winnipeg, MB, Canada), 1990
B.Th. Horizon College (Saskatoon, SK, Canada) and University of Winnipeg, 1986

Compartilhar
Abrir Whats
Precisa de ajuda?
Powered by